Como Anavitória está me ajudando a passar por momentos de angústia

Não estou me sentindo muito bem ultimamente. Não que tenha acontecido algo horrível que me deixou assim – o andamento da minha vida vai muito bem, por sinal – mas as vezes não é isso que define como a gente vai se sentir.

Certas angústias vem me incomodando e me fazendo repensar sobre mim mesmo e sobre minhas relações com pessoas próximas, chegando a me fazer deitar na cama e não querer sair dela, a me fazer sentir um frio que vem de dentro, que me conforta enquanto me machuca.

Nessas horas eu me sinto muito grato por ter a música comigo. Esses dias eu decidi dar uma chance pra o álbum de estreia da dupla Anavitória (diga-se de passagem que eu não tinha muita simpatia pela música delas), e é ele que vem me acompanhando nesses dias turbulentos.

Venho pensando sobre quem eu sou como pessoa. Sou boa companhia? Sou alguém que vale a pena ter do lado? E honestamente, creio que não.

É difícil escrever sobre isso aqui. O perigo de se ter qualquer um lendo esse texto e me vendo nu e cru é assustador; ainda mais quando pode vir julgamento com isso, o clássico “Nossa, tá querendo chamar atenção se fazendo de coitadinho na internet”. E eu espero que vocês não vejam as coisas dessa forma.

Esse é um blog que tenta ao máximo ser bem humorado e divertido, mas que também é sincero e pessoal. Sempre compartilho a sinceridade de meu lado mais feliz por aqui, e dessa vez decidi compartilhar a sinceridade de minha infelicidade. E eu estar infeliz nesse momento não quer dizer que eu seja um pobre coitado, quer dizer apenas que sou humano, e estou disposto a demonstrar a minha humanidade aqui.

Bem, o que me faz desgostar de mim mesmo vão de coisas bobas até outras mais chatas.

A começar por eu estar me achando feio e estar desgostando do meu corpo, o que é uma bobagem sem tamanho e é a menor das coisas que vou compartilhar com vocês, mas não deixa de incomodar um pouco.

Outra coisa é o fato de eu ser uma pessoa extremamente sensível, mas extremamente mesmo. Qualquer coisinha que façam comigo já é motivo pra me chatear ou pensar que alguém intenciona em me fazer mal. Isso não é só ruim pra mim, mas também é ruim pra outras pessoas que tentam se relacionar comigo, por que as vezes a pessoa toma alguma atitude comigo sem intencionar em me prejudicar, mas eu não entendo dessa forma e posso responder com alguma agressividade – o que pode ser também um mecanismo de defesa que incorporei pós anos de bullying.

Minha sensibilidade também atrapalha na hora do próximo lidar com os meus sentimentos. Não gosto de chegar em alguém e explicar a esse que algo que ele fez me deixou mal por algo completamente bobo, é chato e inconveniente.

Em resumo: sou uma pessoa extremamente complicada, eu não me suportaria se fosse outro alguém, e perceber isso me entristece profundamente.

Graças a essa sensibilidade exacerbada, eu requiro muita atenção dos meus próximos a mim mesmo, outro formato de inconveniência. Alguns podem culpar meu sol em Leão por eu ser assim, mas eu culpo a minha necessidade de se sentir querido por aqueles que estão ao meu redor para que eu acredite que sou bem vindo em seu meio, e, assim, me sinta feliz. Chega a um ponto em que se não demonstram carinho ou interesse em mim, eu verdadeiramente, e desnecessariamente, me entristeço.

Nessas horas sempre é bom pensar positivo, então me pergunto quais são as minhas qualidades. O que consigo encontrar é: sou engraçadinho e sou uma boa companhia temporária. Mas não acho que nenhuma dessas duas qualidades ajuda a me fazer uma boa pessoa para se ter amizade. Do que adianta ser engraçado se uma amizade não se sustenta em piadas? E do que adianta eu ser uma boa companhia pra conversar rasas e sem muito compromisso, se elas não conseguem atingir o nível que chega a amizade?

Posso forçar a barra e falar que sou inteligente, mas isso é mais pelo o que os outros falam sobre mim do que por ser algo que eu acredito. Não acho que eu seja inteligente, e de qualquer maneira, não é isso que te faz uma boa pessoa.

E não é só a ideia de que eu não seja boa pessoa que me aflige. A efemeridade de minhas amizades também vem contribuindo pra me deixar pra baixo.

Sabe aquelas amizades que você sempre colocou muita fé? Que pra você, seriam aquelas que durariam muito tempo, que te fazem se sentir bem, que trouxeram mais cor a tua vida? E se você percebesse que elas estão te fazendo mais mal do que bem? Que talvez seja hora de deixar elas pra trás e ir atrás de outras?

Eu sempre fui uma pessoa extremamente solitária. Seja por eu ter sido o alvo do já citado bullying, o que afastava as pessoas de mim, seja por eu ter sido uma criança insuportável, o que afasta mais ainda pessoas de perto de mim, ou seja por eu ter sido um adolescente extremamente fechado e conformado com a ideia de viver solitariamente depois de tanto tempo renegado.

Hoje vivo meus 18 anos, e pelos 16 eu já havia saído desse lugar de completa solidão. Conheci amigos com que passo meu tempo até hoje, por mais que alguns deles nunca tenham sido tão presentes assim.

Mas agora eu me encontro numa situação delicada.

Lembra da minha extrema sensibilidade? Por certos motivos, ela está me fazendo sentir mal dentro dessas amizades. Não consigo mais me sentir querido ou bem vindo no meio dessas amizades, e isso me entristece.

E isso não é culpa de ninguém, não é por eles estarem me destratando, simplesmente é algo aconteceu. Eu sinto que esse seja um acontecimento natural, que iria chegar uma hora ou outra graças as várias mudanças que vão surgindo em nossas vidas com o decorrer do tempo, que mudam desde a nossa rotina até a quem somos.

Com isso, me vejo encurralado. Me questiono se a melhor decisão não seria abandonar essas relações. Por mais que sejam pessoas queridas e que eu não queria longe de minha vida, é inevitável que essas relações estão me machucando. Não seria melhor que eu as deixe e busque por novas pessoas, por mais que eu vá me encontrar novamente num estado de frágil solitude como era costume meu?

No meio do mar frio e turbulento em que fui colocado pelo mal sentimento, felizmente, eu pude encontrar um porto seguro que me oferece abrigo sempre que posso passar por ele. E ele é o álbum de Anavitória.

As músicas dele me aconchegam e fazem me sentir abraçado, por mais que todos os sentimentos ruins estejam passando pela minha mente e corpo. É como se eu tivesse saído de um lago frio e alguém me envolvesse em um cobertor bem quentinho.

A sonoridade do ANAVITÓRIA é completamente orgânica e simplória. Não é melancólica ou feliz demais, é uma dosagem certa de emoções que não te faz sentir mais triste ainda ou que falha em te atingir por ser feliz demais, mas que acompanha o teu sentimento e ainda assim consegue te trazer aconchego.

Talvez o teor leve das letras ajudem a trazem essa leveza toda ao álbum. Elas são todas sobre paixões, e na sua maioria falam sobre a parte boa do amor. Então elas são completamente inofensivas a quem o ouve, não são capazes de machucar o seu coração.

Eu não poderia estar mais grato por ter esse material pra me dar conforto quando tem sido difícil lhe encontrar.

E eu sei que tudo isso vai passar, não importando o desfecho de todas essas confusões que vem me atingindo a mente, eu vou sair desse estado e as coisas vão ficar bem. Mas antes disso, é importante que eu viva todas essas emoções.

Como seres humanos, é inevitável a nossa passagem por situações chatas que irão nos afligir, e é sempre bom ter um ombro amigo onde podemos deitar nossa cabeça durante esse momento, que torna as coisas muito mais toleráveis. Muitas vezes, esse ombro amigo não precisa ser o de alguma pessoa, as vezes uma melodia já basta, e esse é o meu caso com Anavitória.


Obrigado por terem lido esse desabafão até aqui. Não queria postar nada esses dias por conta dessa confusão que se passa em minha mente, mas num vislumbre de inspiração, decidi começar a escrever isso daqui ao invés de deixar o blog vazio por tanto tempo.

Como eu havia dito, isso aqui é um blog pessoal e sincero. Mas a única pessoalidade e sinceridade que eu permitia passar por aqui era a da minha alegria (ou da minha indignação xD), então dessa vez decidi ser realmente condizente com meus sentimentos e deixar passar a minha angústia dessa vez. Acho que agora o “MAI” de “MAIMYU” passa a fazer mais sentido, não é?

12 comentários em “Como Anavitória está me ajudando a passar por momentos de angústia

  1. Vejam só. Eu escutei o álbum após lhe ver comentar tanto no twitter. Não estava em sua trindade de indicações, mas como confio em seu taco musical, que conhece muito mais do Ocidente do que minha pessoa, dei uma chance, e me agraciei. Eu gosto muito destas músicas agridoces, inclusive da Banda do Mar e da Mallu solo. Como disseste, são simplórias e inofensivas, mas transmitem uma sensação de paz e tranquilidade ímpares. E às vezes, isso é tudo que precisamos.

    Não tenho essa sua coragem (parabéns) de se abrir no blog sobre enfermos pessoais. Mas admiro e me identifico um bocado. Já tivemos pequenos papos sobre e quando rola essa cumplicidade, por mais que seja por fatores negativos, aumenta também a confiança e empatia. Não virei com demagogias, pois você é esperto e sabe o que faz, tanto que me instruíste anteriormente.

    São períodos, efêmeros e cruéis, diria que inerentes à nossa raça e de impacto maior em pessoas cuja psique é como o mar; instável e imprevisível. A sensação é de impotência, pois de súbito somos pegos com incertezas, inseguranças e, outras questões existenciais que descreveste no post. Não há resposta, apenas reflexão. Por isso reforço a sensação de impotência.

    Não temos o que fazer, simplesmente, além de esperar ou tomar atitudes quando há algum fator. Então, apenas espero que dê tudo certo. Excelente post.

    Curtir

  2. Nossa Ramon, percebi que me identifico mais com você do que imaginei, principalmente nessa parte da autoestima, a da necessidade de se sentir querido por quem gosto pra poder ficar mais “tranquilo” e a de ser um adolescente fechado.

    No mais, é bom botar tudo pra fora nesses casos, guardar pra gente não é muito bom. E saiba que você já é forte por conseguir passar por tudo isso ❤

    Curtir

  3. Bom, eu sou ao seu contrário… Eu também sou bem sensível, mas, no meu caso, prefiro ficar sozinha, sem muitas pessoas em cima mesmo haha.
    Acho que este momento que passas, provavelmente, passará logo, precisas ser forte e enfrentar os medos e as angústias, sem receios! Sei que você consegue sair desse momento delicado ^-^
    (ノ_<。)ヾ(´ ▽ ` ) (≧◡≦) ♡
    ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

    Curtir

    1. Muito obrigado pelas palavras ❤ Nessas horas o melhor a se fazer é deixar passar, e aguentar firme durante isso.
      As coisas já estão ficando mais claras nesses dias, então logo logo fico bem.
      Cê bugou o blog com o seu carinho xD, então não vejo problema nenhum, muito pelo contrário hehehe.

      Curtir

  4. “Sabe aquelas amizades que você sempre colocou muita fé? Que pra você, seriam aquelas que durariam muito tempo, que te fazem se sentir bem, que trouxeram mais cor a tua vida? E se você percebesse que elas estão te fazendo mais mal do que bem? Que talvez seja hora de deixar elas pra trás e ir atrás de outras?”
    Realmente me identifico com essa parte. Acabei a escola faz dois anos e tem aquelas pessoas que nem falo mais e aquelas que continuo falando, mas não está a mesma coisa. Agora irei começar um novo trabalho, tem a faculdade e continua aqueles pensamentos de “O que estou fazendo com a minha vida? Essas amizades realmente valem a pena? Devo deixar de mão? Como será o meu relacionamento com os meus novos colegas de trabalho, eles irão gostar de mim?”
    O pior para mim é que esses pensamentos sempre vem a noite, então perco muitas horas de sono pensando na minha vida, em todos os pontos dela. É extremamente exaustante.
    Ainda não encontrei uma forma certa de lidar com essas emoções e pensamentos, mas sei que não pensar nelas pode ser ainda pior. Tempos de mudanças chegam para todos, então não desista. Acho que o melhor é seguir as coisas do jeito como elas estão indo e apenas tomar decisões quando elas realmente tiverem de ser tomadas.
    Espero, como leitora desse blog e até mesmo como uma pessoa que está passando por uma situação parecida, que você consiga passar por isso da melhor para possível.
    Desculpe-me pelo texto longo e confuso, hehe’

    Curtir

    1. Concordo contigo. Quando chegam esses momentos em que a gente se vê diante de uma escolha difícil de ser tomada, o melhor a se fazer a pensar nela pra tomar uma decisão quando necessário, por mais ruim que seja pensar nisso.
      Tô na torcida pra que você passe por isso da maneira que for possível, e que as coisas fiquem melhores! Obrigado pelo carinho ❤
      E nem se preocupe em pedir desculpas, o texto ficou nada confuso e textos longos são minha especialidade hehehe.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s