As músicas novas de Ed Sheeran me fazem questionar sobre a qualidade dele como compositor

Eu nunca dei muita bola pra Ed Sheeran, por mais que eu respeitasse o nome dele lá na época de Lego House. Só me faltava interesse de ir atrás de mais músicas dele mesmo. E esse interesse caiu 10x depois que a genérica, sem sal e saturada Thinking Out Loud estourou e trouxe a fama que Sheeran tem hoje em dia.

Apesar dos apesares, decidi dar uma chance pra as músicas que marcam a presença dele em 2017. Convenhamos que ouvir duas músicas não é tortura nenhuma, e vai que eu acabe curtindo elas? E as coisas não foram lá de todo mal, ou pelo menos em parte.

Com Shape Of You a coisa não rolou só bem, mas rolou ótimamente. E isso graças a sonoridade dela que é absolutamente deliciosa.

Esse instrumental super simples guiado por um instrumento que parece mais um xilofone junto de vocais monótomos (no bom sentido) funcionou bem demais. E tudo fica mais interessante com a leve explosãozinha™ que aparece quando a gente tá chegando no final do refrão, cheio de ‘Oh I’s.

O problema disso aqui fica mais na composição da música. E não pela forma como a letra foi escrita, mas sim pelo tema mesmo.

Eu jurava que Ed Sheeran era daqueles compositores que traziam letras mais interessantes que fugissem dos clichés de Pop. Mas eu quebrei a cara por que essa música fala justamente sobre um desses clichezões, que é nada mais nada menos que sexo. A letra fala simplesmente dele gostar do corpo duma guria x que ele achou no bar. Quer dizer…

E olha que eu tava achando interessante a letra nos primeiros versos, esperava que ele fosse trazer alguma reflexão legal sobre ser melhor encontrar um amor no bar por lá ser um lugar onde o pessoal troca umas ideias ou algo do tipo. Mas no fim, isso do bar era só pretexto pra guiar a gente até o momento em que ele fala que gosta de trepar com mulheres que acha no bar. Bem vazio.

E eu sei o que vocês devem estar pensando: “Ainnnn, mas o que você esperava de música pop????”. E eu respondo com isso:

Um homem pode construir uma bomba

Outro, correr uma corrida

Para salvar a vida de alguém e explodi-la na sua cara

Eu não sou o única que acha difícil entender

Eu não tenho medo de Deus, eu tenho medo dos homens

Isso aí faz parte da letra de uma música pop. Meu ponto é: não é por ser pop que a música obrigatoriamente precisa ser vazia.

Mas enfim, decepções à parte, a letra da música ainda assim é muito bem construída e isso é um ponto positivo. E a temática da composição não diminuiu nem um pouco a qualidade sonora de Shape Of You. Então, de qualquer forma, é ponto pro senhorito Ed.

Tá bom, mas e a outra música dele?

Sonoramente, Castle On The Hill é muito inferior à Shape Of You, chega a ser quase chata. Mas eu imagino que ela seja uma daquelas faixas de álbum que funcionam bem como uma música que fica no meio do CD, e não como um fucking single.

Já em relação à letra, até o primeiro refrão ela soa absolutamente ridícula. Vamos dar uma analisada nisso aqui.


Quando eu tinha seis anos de idade, quebrei minha perna

Mas que pena, em?

Eu estava fugindo do meu irmão e de seus amigos

Show.

E senti o gosto do perfume doce da montanha da qual rolei

Mas que tentativa de ser poético falha da porra.

Eu era mais jovem ali, me leve de volta para quando eu encontrei o meu coração e o parti aqui

Você está MESMO querendo transicionar a música daquela merda aleatória pra você falando que tava apaixonado por alguma fulana qualquer que ninguém se importa???

Fiz amigos e os perdi através dos anos

E eu não vejo estes campos tempestuosos há tanto tempo

Eu sei que cresci

Tá bom, então ele tava querendo falar de quando ele tava crescendo. Menos mal.

Mas eu mal posso esperar para ir para casa

Não entendi.

Estou a caminho

Dirigindo a 90 por hora nestas estradas do interior

Cantando “Tiny Dancer”

Pelo jeito ele ta a caminho de casa. Por mais que eu não tenha entendido direito que casa é essa. É tipo o lugar onde ele cresceu?

E sinto falta de como você me faz sentir, e é real

Assistíamos ao pôr-do-sol no castelo na montanha

Eu espero do fundo do meu coração que ele não esteja falando de uma fulana qualquer que ele estava apaixonado. Por que se for esse o caso, todo o resto daquela letra foi a maior encheção de linguiça pra no fim das contas o Ed Sheeran dar uma de romanticozinho. Então eu prefiro interpretar que esse troço que faz ele sentir coisas é o lugar onde ele cresceu.


Percebe?

Mas talvez eu esteja sendo duro demais com a letra, por que no resto dela a pessoa percebe que é Ed fala sobre estar crescendo e sobre como as coisas mudaram ao redor dele com o tempo. O que é uma temática bem interessante e válida. Só faltou ele ter escrito de uma forma menos tosca mesmo.

Mas ok, num panorama geral, Sheeran não trouxe merdas horrível, e sim músicas que são muito aproveitáveis em seu respectivo terreno, por mais que tenham suas imperfeiçõezinhas.

As duas músicas não foram o suficiente pra me deixar curioso pro novo álbum dele, mas pelo menos aguçou a minha vontade de dar uma chance pras coisas que ele for trazendo aí pela frente. Então vamo esperar.

7 comentários em “As músicas novas de Ed Sheeran me fazem questionar sobre a qualidade dele como compositor

  1. Devo ser um dos únicos que pensa assim, mas acho ele tão superestimado.
    Essa letra de Castle On The Hill me lembrou aquelas fanfics sofridas em que o autor bota esses elementos pra todo mundo ficar com pena e comentar #chorei *imagine vários emojis*

    Mas as duas eu achei bem ok, acho que deve ser meu bloqueio pra voz de homem ocidental nas músicas

    Curtir

    1. SOFRI COM ESSA ANALOGIA.
      Eu nem posso falar se acho superestimado ou não por que eu só ouvi 3 músicas dele, basicamente. Mas eu bato o pé no chão e falo que Thinking Out Loud foi a música mais superestimada de 2015.

      Curtir

  2. Em primeiro lugar queria dizer que adorei a referência de Marininha e os diamantes. Em segundo lugar queria dizer que não sei porque parece que os cantores pegam as melhores músicas deles e deixam escondidas no álbum, e soltam as mais “ok” como single. Gosto bastante do menino Ed, principalmente das coisas mais antigas. E nossa, ele esconde as pérolas 100%. “I’m a Mess” do X foi ótimo,mas ficou lá guardadinha. Nesse álbum eu gostei bastante de “shape of you” e “eraser”. Não acho que tem que colocar artista nenhum em pedestal, ninguém é perfeito(só a Adele rs por essa eu sou cega de amor mesmo), mas dá pra apreciar bastante esse Ed Sheeran. Beijo no coração

    Curtir

    1. Marinão sempre marcando presença por aqui ❤
      Eu só não vou atrás de coisas mais antigas do Ed por pura preguiça mesmo, mas eu não duvido nada que ele tenha coisas boas dentro da discografia dele. Nem cheguei a ouvir o novo álbum dele, realmente não to com um pingo de curiosidade, pra mim Shape of You já tá valendo, mas você até me deixou curioso pra saber dessa Eraser aí.
      E convenhamos, Adele é Adele então não amar ela é bem difícil né? hehehe

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s